.

.

sexta-feira, 17 de março de 2017

VEM TRABALHAR

Um vídeo publicado pela Prefeitura de Caxias do Sul, na Serra do Rio Grande do Sul, mostra Daniel Guerra (PRB), o novo prefeito da cidade, telefonando para um médico de uma unidade de saúde que não estava no trabalho.
“O senhor poderia me dizer qual é o motivo da sua ausência aqui na UBS [Unidade Básica de Saúde]? É o seu dia de plantão hoje. Tem 16 pacientes na sua agenda e o senhor não está aqui atendendo”, questiona Guerra ao telefone.
No vídeo, o prefeito ainda diz: “Faça a gentileza de vir cumprir o seu horário. Até porque, pelo que me consta, o salário está em dia e a parte da sua obrigação é prestar serviço”.
O motivo de ausência do funcionário era uma paralisação dos médicos do município. A categoria é contra a determinação da prefeitura de que os funcionários registrem a entrada e a saída do trabalho em ponto eletrônico, e cumpram a carga horária contratada.
A greve, realizada nos dias 1, 2 e 3 de março, resultou no atraso de mais de 2,2 mil consultas.
Crítica
O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) criticou a postura do prefeito de Caxias do Sul.
“É lamentável ver o desrespeito, o assédio moral e falta de ética na relação entre gestores e médicos”, escreveu o Cremers, em nota. “É injustificável a exposição midiática do médico e o uso político no trato de uma questão administrativa, comum no dia a dia”.
A entidade ainda afirmou que irá encaminhar uma representação contra o governo municipal ao Ministério Público do Trabalho.
Bookmark and Share

Nenhum comentário:

Postar um comentário