.

.

sábado, 29 de junho de 2013

RESULTADO DA ENQUETE

No início do mês, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei complementar que permite a criação de novos municípios brasileiros. Se for aprovado pelo Senado, o Brasil ganhará 410 novos municípios, garantindo a alegria de uma gama de políticos sedentos por cargos.
No início do mês, a
Numa enquete colocada no início de junho, o blog Sou Chocolate e Não Desisto quis saber de seus leitores e visitantes se eles são a favor ou contra a criação de novos municípios. Para 12,50% são a favor, mas 87,50% dos leitores são contra esse projeto. Veja o resultado.
Bookmark and Share

sexta-feira, 28 de junho de 2013

PRONUNCIAMENTO PRESIDENCIAL

A presidente Dilma fez um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão para falar sobre as manifestações que estão ocorrendo diariamente em todo o país. Segundo a presidente, os manifestantes tem todo direito defender com paixão e ordeira suas reivindicações de melhorias de vida.
Dilma, disse que as pautas dos manifestantes ganharam prioridade nacional, falou também que sua geração lutou muito por liberdade de expressão e que muitos morreram lutando por isso. A presidente anunciou que vai convocar todos os governadores e prefeitos das maiores capitais e grandes cidades e também os líderes das manifestações.
A presidente disse que está ouvindo as vozes das ruas e que não vai permitir que alguns arruaceiros causem pânico a população. A reforma política foi citada pela presidente; segundo ela, fará uma reforma política com a participação de todos. Dilma citou ainda os gastos da Copa do Mundo.

Clique aqui e ouça o discurso na íntegra.
Bookmark and Share

quinta-feira, 27 de junho de 2013

AÇÃO TRUCULENTA

Enquanto a bola rolava na Arena Castelão, em Fortaleza (CE),  o confronto  entre manifestantes e a polícia truculenta do governador Cid Gomes acontecia do lado de fora. Com bordoadas de cassetetes, balas de borracha e bombas de gás lacrimogênio, a polícia não permitiu que os manifestantes continuassem com os protestos contra os gastos da Copa do Mundo de 2014.
Contra os manifestantes, a polícia usou o canhão sônico; arma que causa tontura, náusea e dores no peito. Mais uma vez a polícia cearense comandada pelo governador Cid Gomes (PSB) é agressiva e os excessos aos manifestantes são visíveis.
Enquanto a polícia usa todo esse aparato para machucar quem manifesta sua indignação e a precariedade nos serviços públicos, a criminalidade continua sem controle em Fortaleza – que ocupa a 13ª triste posição de cidade mais violenta do mundo – e região metropolitana.
O programa de segurança pública, Ronda do Quarteirão é um fiasco. É campeão mesmo em gastos; mais de R$ 200 mil custou cada viatura equipada com o que há de mais moderno: computador a bordo, bancos de couro...Todo esse luxo tem servido pra tudo – até para motel – menos para combater a violência.
Bookmark and Share

sábado, 22 de junho de 2013

PSDB, 25 ANOS

Os tucanos se reuniram em Brasília pra comemorar os 25 anos da criação do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Uma exposição marcou os 25 anos da criação da legenda, os 19 anos do Plano Real e as comemorações se estenderam aos 82 anos do ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso.
Em discurso, o presidente do PSDB, o senador mineiro, Aécio Neves enalteceu a criação do partido em junho de 1988, quando Mário Covas anunciava no Congresso aos brasileiros  a criação de um novo partido. O PSDB teve uma responsabilidade enorme em relação aos principais avanços ocorridos no Brasil até aqui”, afirmou o tucano.
Bookmark and Share

quinta-feira, 20 de junho de 2013

NA SURDINA...

Enquanto as atenções se voltavam para a Copa das Confederações e as manifestações em todo o país, eis que numa sessão esvaziada e de forma sorrateira, o presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias, o protestante Marcos Feliciano (PSC –SP), aprovou o projeto de lei do deputado João Campos (PSDB-GO), que disponibiliza na rede pública de saúde psicólogos para tratamento da homossexualidade.
Conhecido como “Cura Gay”, o projeto é um retrocesso à Nação, que vai contra ao Conselho Federal de Medicina e a Organização Mundial da Saúde (OMS), que desde o início da década de 90, retirou a homossexualidade de sua lista de distúrbios.
Para ser aprovado, projeto “Cura Gay” será preciso passar por duas Comissões, caso passe, então será levado à Plenário para virar lei. Com receio que não passe nas duas Comissões e não entre em votação, Feliciano já ameaça ‘rebelião’ até para o governo; caso a presidente Dilma e a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário se o governo interferir no seu insano intento, a “cura gay”.
A presidente Dilma prova do próprio veneno, afinal, Feliciano está presidente da CDHM com o aval presidencial que retirou da disputa o candidato que representaria o governo. Dilma optou pelo apoio da bancada protestante de Feliciano nas votações do governo. O abacaxi está nas mãos da presidente e somente a ela cabe decidir se mantém Feliciano presidente da CDHM.
Bookmark and Share

FILHO BONITO

Como filho bonito todo mundo quer ser o pai, o PT já convocou sua militância para ir à Avenida Paulista nesta quinta-feira (20), no ato organizado pelo Movimento Passe Livre – MPL – que já estava marcado e agora será para comemorar a revogação da tarifa.
Desde o início ficou bem claro que não houvesse a manifestação de nenhum partido político, seja por meio de bandeiras, símbolos... Se PT insistir nessa ideia de levar sua militância para a Paulista e se juntar aos manifestantes, com certeza será hostilizados, assim como foi a grande imprensa em alguns momentos. O PSDB que nem cogite, porque também será tratado como persona non grata.
Bookmark and Share

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O RECUO

Em menos de duas semanas de manifestações em São Paulo contra o aumento das passagens de trens, metrô e ônibus, o governador  Geraldo Alckmin  (PSDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT) recuaram e anunciaram redução nas tarifas.
No início da noite desta quarta-feira (19), Alckmin e Haddad, juntos, anunciaram a redução na tarifa do transporte público, que voltará ao mesmo valor – R$ 3,00 para ônibus – a partir da próxima segunda-feira (24). A redução da tarifa que antes era impossível, segundo o governador e o prefeito, assim como num passe de mágica, deram um jeito.
Os discursos do governador  Alckmin e do prefeito da capital paulista, Fernando  Haddad (PT) que classificou a manifestação de criminosa praticada por vândalos mudou da noite para o dia.
A grande mídia também mudou seu discurso quando sentiu literalmente na pele a truculência e os excessos praticados pela polícia de Alckmin. Foram mais de 18 jornalistas atingidos por balas de borrachas e prisões arbitrarias, até pra quem portava vinagre para se defender das bombas de gás lacrimogênio.
Bookmark and Share

segunda-feira, 17 de junho de 2013

SOCO NA CARA

SP247 – Revoltados com a violência da Polícia Militar diante dos recentes protestos contra o aumento da tarifa de ônibus, principalmente em São Paulo, vários atores aderiram à campanha #mudabrasil e #doiemtodosnos nas redes sociais.
Idealizado pelo fotógrafo Yuri Sardenberg, que se inspirou na jornalista Giuliana Vallone, ferida com um bala de borracha enquanto cobria a manifestação para a Folha de S.Paulo, o ensaio mostra os artistas com os olhos roxos.
"Acorda Brasil essa é nossa chance de mudar", escreveu a atriz Thaila Ayalla no Twitter. "A violência e truculência com que os manifestantes vêm sendo abordados são mais uma forma de desrespeito ao cidadão brasileiro", publicou seu marido, Paulo Vilhena, na legenda da foto.
Outros participantes da manifestação são os atores Carmo Dalla Vecchia e Fernanda Rodrigues, a modelo Yasmin Brunet e o próprio fotógrafo, Yuri Sardenberg. Ao todo, sete jornalistas da Folha foram feridos durante a cobertura, todos identificados como profissionais da imprensa.
Um repórter da revista Carta Capital chegou a ser preso por carregar vinagre na mochila – o produto ajuda a amenizar a irritação dos olhos diante do gás e dos sprays de pimenta da polícia.
Bookmark and Share

domingo, 16 de junho de 2013

QUEBRA DE SIGILOS

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e de operações em bolsa do senador Lindbergh Farias (PT-SP) no período de 2005 a 2010. A providência foi requerida pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que investiga suspeitas de envolvimento do parlamentar com crimes relacionados a uma suposta gestão fraudulenta do instituto de aposentadoria dos servidores públicos de Nova Iguaçu. Na época em que teriam sido cometidas as supostas irregularidades, Lindbergh era prefeito da cidade.
Conforme informações da Procuradoria, o inquérito foi aberto para apurar fatos investigados por uma CPI instaurada na Câmara Municipal de Nova Iguaçu. De acordo com o Ministério Público, a suposta fraude pode ter alcançado a cifra de R$ 350 milhões.
"A análise detalhada do Relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito e dos documentos que o instrui indica uma verdadeira ''parceria'' entre o então prefeito Luiz Lindbergh (o senador), que atuava no relacionamento da Prefeitura com o Fundo de Previdência Previni e os dirigentes desse Fundo, pessoas da confiança do prefeito, que os indicava e reconduzia ao posto", sustentou o procurador. O senador é pré-candidato do PT ao governo do Rio, em 2014.
No despacho, Dias Toffoli concordou que para o prosseguimento das investigações pelo Ministério Público Federal era necessária a quebra de sigilos de pessoas jurídicas e físicas, entre as quais Lindbergh, onde foram detectadas movimentações financeiras suspeitas.
"Temos aqui situação na qual se encontram em jogo a coisa pública e agente político e demais investigados, cuja privacidade mostra-se relativa. No caso, os fatos narrados possuem repercussão maior, estando devidamente demonstrada a necessidade de se apurar a fundo todos os aspectos que possam estar envolvidos na espécie", concluiu o ministro.
Defesa
A defesa do senador contesta as informações, classificadas pelo advogado Celso Vilardi de "precárias". "Entendo que o ministro não recebeu informações pertinentes", avaliou. Segundo o defensor, as denúncias que motivaram o entendimento do procurador Roberto Gurgel não são fruto de um relatório de CPI. "O relatório foi rejeitado, se transformou em documento particular de um vereador que fazia oposição ao então prefeito Lindbergh."
A defesa também refuta a origem dos débitos tratados no inquérito. "Estão colocando o rombo como se fosse criado pelo Lindbergh, mas é uma dívida pública, da prefeitura com a Previdência, também de outras administrações", ressaltou o advogado, que pretende encaminhar ao ministro Toffoli os esclarecimentos que, acredita, faltaram na acusação da procuradoria.
Outro ponto que Celso Vilardi pretende contestar são as investigações de débitos parcelados, o que segundo ele, é o caso da dívida previdenciária de Nova Iguaçu. "Não pode querer investigar dívida tributária parcelada. E não pode querer omitir do ministro questões como: não foi ele (Lindbergh) que causou o rombo; isso não é sonegação, é inadimplência da prefeitura porque não tinha dinheiro para pagar a folha, uma dívida que a prefeitura não tinha condições de saudar", afirmou o advogado.
Por Mariângela Gallucci e Débora Álvares - Agência Estado
Bookmark and Share

sábado, 15 de junho de 2013

PALAVRA FINAL

Por Marcelo Portela - O Estado de S. Paulo
O presidente nacional do PSB, o governador Eduardo Campos (PE), afirmou nesta sexta-feira, 14, acreditar que o projeto que inibe a criação de novos partidos voltará a ser discutido na Justiça mesmo que seja aprovado no Congresso. Para o socialista, mesmo que o Supremo Tribunal Federal (STF) libere a votação do texto - suspensa por liminar do ministro Gilmar Mendes - pelo Senado, caberá à Justiça dar a palavra final sobre a constitucionalidade do texto.
Campos disse que recebe "com tranquilidade" a decisão do STF de liberar a tramitação do projeto porque "decisão da Suprema Corte temos que ter, na democracia, o entendimento que cabe acatar". Mas avaliou que "muitos" ministros do Supremo já "deixaram claro que uma coisa é interromper um processo de votação que estava em curso no Senado e outra coisa é o mérito da matéria".
Cotado para disputar a Presidência em 2014, o governador de Pernambuco é, ao lado dos partidos de oposição, um dos críticos da proposta. O entendimento é de que o governo está por trás do projeto para inviabilizar o surgimento de novas candidaturas que possam disputar o pleito contra a presidente Dilma Rousseff, provável candidata à reeleição, como a de Marina Silva, que tenta viabilizar a criação da Rede Sustentabilidade.
"Ao cabo da votação, continua o debate sobre a constitucionalidade, a meu ver. Então, esse assunto deverá voltar ao STF tão logo o Congresso Nacional conclua a votação no Senado", observou Campos em entrevista concedida pouco antes de participar, junto com o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB) e os ministros Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Antônio Andrade (Agricultura), de evento empresarial em Araxá, na região do Alto Paranaíba.
Bookmark and Share

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Ô PROMESSA SEM JEITO!

Daria para lotar o novo Maracanã - são 74 mil convidados, dos quais 9 mil já confirmaram presença. É esse o tamanho da "Torcida carioca pela Argentina Campeã Mundial em 2014". O evento foi criado no Facebook depois que o prefeito Eduardo Paes (PMDB) prometeu se matar caso o Brasil perca a Copa para os arquirrivais. "Se a Argentina vencer o Brasil, na final, eu vou me matar. Eles têm Messi e o papa. Não podem ter tudo", brincou o prefeito carioca, em entrevista ao jornal britânico The Guardian.
Não demorou para que a declaração virasse piada. O operador de áudio Diedro Barros, de 29 anos, criou o evento e, além de conclamar os cariocas a torcerem pela Argentina, propõe o pagamento da "mala branca" para "os hermanos". No jargão esportivo, mala branca é a propina oferecida por um time interessado na vitória de outro.
Outra internauta propôs enquete sobre como o prefeito deve se matar. Entre as opções, a que ganhou mais votos foi a que propõe que o prefeito passe um mês andando de ônibus, pagando a nova tarifa, e depois entre "acidentalmente" na Vila do João, favela no Complexo da Maré.
Insatisfeito com a gestão de Paes, Diedro criou o evento e convidou 100 amigos. Em 48 horas, recebeu 8,5 mil adesões. "O Rio se tornou um canteiro de obras para servir turistas na Olimpíada e na Copa. A prefeitura não está nem um pouco preocupada com o povo e não vemos investimento verdadeiro em saúde e educação", disse o operador. Ele ressalta que não quer a morte do prefeito. "A gente aproveita qualquer deslize dele para protestar. Ele fez a brincadeira e reagimos com bom humor."
 Clarissa Thomé / Rio - O Estado de S.Paulo
Bookmark and Share

quarta-feira, 12 de junho de 2013

POSE DE MOÇO BOM

Posando de bom moço e humilde, o presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias (CDHM), o pastor Marcos Feliciano em sua conta no microblog Twitter admitiu ser despreparado para o cargo e acusou a ex-senadora Marina Silva de traição.
Não precisa ser do métier pra saber que ele não é preparado e jamais será. Nunca militou em defesa dos Direitos Humanos e no cargo que ocupa, põe em primeiro lugar a sua fé e faz da Comissão mais um púlpito para pregar seu fundamentalismo religioso. Está na presidência da CDHM por conveniência política, na cota de seu partido evangélico PSC e com total apoio do PT.
Marina Silva tem propriedade no assunto quando fala que o pastor Marcos Feliciano não é preparado para presidir a Comissão dos Direitos Humanos e Minorias (CDHM). Ela sabe o que é um Estado Laico. Marina já fez parte da CDHM, mas nunca misturou questão religiosa.
Honrando o acordo político escuso entre PSC e o PT, a presidente Dilma continua num silencio sepulcral.  Causa espanto também é o silêncio da ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário que até agora não se posicionou.
Bookmark and Share

segunda-feira, 10 de junho de 2013

ESGOTADO

Escrita por Otávio Cabral, a primeira edição de Dirceu, a biografia vendeu mais que pão quente;  um total de 20 000 exemplares vendidos em dois dias. 
Para suprimir a demanda, a editora Record já começou a rodar nesta segunda-feira (10) mais 10 000 exemplares.
Segundo informações, até ontem José Dirceu dizia a interlocutores próximos que não havia lido o livro.  Acredite, se quiser.
Bookmark and Share

sábado, 8 de junho de 2013

UM CABO ELEITORAL PRA CHAMAR DE SEU

O ex-tudo Ciro Gomes  (PSB-CE) que desde setembro de 2010 não se aproximava do presidente nacional de seu partido, o PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que rifou sua candidatura à Presidência da República, recentemente ambos tiveram uma conversa amistosa, a convite de Campos.
A conversa secreta aconteceu no Palácio Campo das Princesas, sede do governo pernambucano. Eduardo que pretende ser candidato a presidente nas eleições de 2014 se aproximou de Ciro Gomes porque ver nele um forte cabo eleitoral, principalmente na região sudeste, onde Campos não é tão conhecido.
Parece que Eduardo passou uma borracha nas críticas que Ciro tem feito ao correligionário e presidente da sigla. Segundo informações, o governador teria feito até uma proposta para Ciro Gomes mudar seu domicílio eleitoral, de preferência para São Paulo.
Essa história de mudança de domicílio eleitoral tende se repetir a de 2010, quando, a pedido do então presidente Lula, Ciro transferiu seu título eleitoral para São Paulo, mas viu o sonho de ser presidente da República se esvair pela terceira vez e só mais tarde percebeu que Lula lhe fezde trouxa. Mas já era tarde e como prêmio de consolo, virou coordenador da campanha de Dilma no segundo turno.
Bookmark and Share

BIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA

Chegou hoje às livrarias o livro Dirceu: A biografia, escrito por Otávio Cabral, editor da revista Veja. Publicado pela Record, a obra traz informações e documentos exclusivos sobre a trajetória do petista, desde a sua infância em Minas Gerais até o julgamento no processo do mensalão.
Para fazer o livro, Cabral entrevistou 63 pessoas próximas ao petista e descreveu a vida do ex-ministro da Casa Civil de Lula, condenado no processo do mensalão e apontado pela Procuradoria Geral da República como “chefe da quadrilha”. A obra aborda ainda o período em que Dirceu viveu em Cuba e, depois, na clandestinidade no Brasil.
Jornalista há mais de 20 anos, Cabral cobriu os principais acontecimentos políticos do País em Brasília entre 2000 e 2010. Antes de Veja, trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Notícias Populares. 
A biografia, não autorizada, seria publicada pela editora Leya, que acabou desistindo do projeto alegando questões jurídicas. O livro será vendido por R$ 39,90.
Júlia Duailibi, do jornal O Estado de S. Paulo
Bookmark and Share

sexta-feira, 7 de junho de 2013

PÁGINA CENSURADA

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) instaurou, nesta sexta-feira, 7, procedimento administrativo para investigar as razões que levaram o Facebook a excluir do site a comunidade "Fortaleza Apavorada", criada recentemente na rede social.
A página foi fundada para divulgar ato – marcado para o próximo dia 13 de junho – cobrando medidas para reduzir índices de violência urbana na Capital. Porém, nas últimas 48 horas, a página saiu do ar pelo menos duas vezes, sem que quaisquer esclarecimentos tenham sido prestados pela administração da rede social.
"Ao que tudo indica, alguém denunciou falsamente o grupo 'Fortaleza Apavorada' ao Facebook, com o objetivo de paralisar as suas atividades", supõe o procurador da República Márcio Torres. Na internet, circulam ainda acusações de possível ataque de hackers contra a página.
Segundo o procurador, o procedimento administrativo instaurado pelo Núcleo de Acompanhamento em Atividades Criminais (Naac) do MPF pretende investigar e identificar usuários que teriam praticado o possível crime de denunciação caluniosa. Caso sejam identificados os responsáveis pelas denúncias falsas, eles poderão responder processo por calúnia.
Do jornal O Povo, com informações da assessoria de imprensa do MPF-CE
Bookmark and Share

FELIZ SENDO PROSTITUTA

A peça publicitária divulgada no último domingo (2), nas redes sociais para o Dia Internacional das Prostitutas com a frase “Eu sou feliz sendo prostituta”, foi tirada do ar a pedido do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Em seguida, o ministro determinou a demissão do diretor do departamento responsável pela peça, Dirceu Greco.
A campanha foi criada pelo Departamento de DSTs, Aids e Hepatites Virais do ministério, chefiado por Greco, em uma oficina com as profissionais do sexo, em março deste ano. A pasta justificou que o departamento veiculou a campanha sem a aprovação da Comunicação Social do ministério e que o texto não atendia o foco da campanha, que era a saúde dessas profissionais.
Na última terça-feira (4), o panfleto da campanha com a frase “Eu sou feliz sendo prostituta” virou alvo dos deputados da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, por iniciativa do presidente, o pastor deputado Marcos Feliciano (PSC-SP) viu a oportunidade de azucrinar o ministério da Saúde, quer esclarecimentos sobre a peça publicitária.
Autor do projeto de lei para curar os homossexuais,  o deputado evangélico João Campos (PSDB-GO) fez duras críticas e acusou a presidente Dilma de não cumprir compromissos assumidos na campanha eleitoral e fez uma comparação a situação com uma hipotética campanha sobre a pedofilia.
— Eu estou imaginando aqui os títulos das próximas campanhas: "sou adúltero e sou feliz", "sou incestuoso, sigam-me", "sou polígamos, me acompanhem", "sou pedófilo, observem-me, sou feliz, estou realizado" — afirmou Campos.
Outro parlamentar evangélico que engrossou o coro foi Marcos Rogério (PDT-RO), classificando a campanha de apologia:  “Ainda que a prática da prostituição não seja crime, o que o governo faz através de uma campanha midiática, publicitária é uma apologia ao crime, apologia à prostituição”.

Mas a demissão de Dirceu Greco da campanha por Padilha gerou protestos nos profissionais da área; por enquanto dois diretores adjuntos do Departamento de DST e Aids pediram demissão. Segundo Greco, há pressão religiosa na saúde e sua demissão foi motiva porque a política desenvolvida em sua gestão não “coadunava com a política conservadora do atual governo”.
Bookmark and Share

quinta-feira, 6 de junho de 2013

O EXTERMINADOR DE CÃES

A prefeitura de Santa Cruz do Arari, no arquipélago do Marajó, Pará, está gerando polêmica ao oferecer dinheiro para quem capturar cães. Pelo valor de R$ 5 ou R$ 10, populares chegaram ao extremo de invadir casas e roubar proprietários de animais domésticos.
Segundo um morador, que gravou imagens de pessoas capturando cães nas ruas, é provável que cerca de 100 animais já tenham sido mortos. A estimativa é a de que aproximadamente 200 cachorros foram levados para uma ilha para que morressem por falta de recursos essenciais como água e comida. O caso foi parar na Delegacia de Meio ambiente do Pará.
A prefeitura afirma em nota que o estímulo à captura dos cães deve-se à ataque dos mesmos contra a população. O extermínio teria sido planejado pelo prefeito do município de Santa Cruz do Arari, Marcelo Pamplona.
Na imprensa nacional o caso teve grande repercussão e nas redes sociais o prefeito Marcelo Pamplona ganhou o apelido de “O exterminador de cães”.
Bookmark and Share

A PRIMEIRA PARCELA

A Prefeitura de São Paulo recebeu nesta terça-feira (4) depósito de cerca de 1 milhão de libras esterlinas, a primeira parcela do repasse determinado pela Justiça da Ilha de Jersey, paraíso fiscal europeu, contra empresas ligadas à família do deputado Paulo Maluf (PP-SP, foto abaixo). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Prefeitura de São Paulo ao G1 no começo da noite.
O dinheiro tinha sido liberado na sexta-feira (24) para uma conta dos advogados que representam a Prefeitura de São Paulo em Londres. A transferência para conta da administração municipal foi concretizada nesta tarde de terça. De acordo com o câmbio desta terça, o valor equivale a cerca de R$ 3,25 milhões. Saiba mais. Roney Domingos e Tatiana Santiago, G1
Bookmark and Share

NOVOS MUNICÍPIOS

Com as galerias repletas de manifestantes que, de pé, aplaudiram os deputados, a Câmara aprovou nesta terça-feira, por 319 votos a favor e 32 contra, além de duas abstenções, projeto de lei complementar que reabre a possibilidade de criação de novos municípios via assembleias legislativas dos estados. Sete destaques para modificar o texto ainda foram apreciados. A farra de criação de novos municípios foi interrompida em 1996, quando emenda constitucional aprovada exigiu a aprovação de lei federal traçando os novos critérios para a criação, incorporação e desmembramentos de cidades a serem seguidos pelas Assembleias estaduais. O texto original já tinha sido aprovado no Senado, mas como foi modificado pela Câmara, retorna àquela Casa para nova votação.
Levantamento feito pelo GLOBO nas Assembleias dos 26 estados da federação revelou que, se a porteira for novamente aberta, o país poderá ganhar até 410 novos municípios, elevando para quase 6 mil o número de cidades brasileiras hoje já são 5.578 municípios. A criação de novos municípios implica em aumento de gastos para custear as estruturas de Executivo e Legislativo da nova cidade, além de novos representantes a serem eleitos, os servidores públicos que irão dar suporte.
Do O Globo


Bookmark and Share

quarta-feira, 5 de junho de 2013

AINDA É POSSÍVEL...

Cúpula do PT avalia que ainda é possível trazer o governador pernambucano Eduardo Campos de volta ao projeto de reeleição da presidente Dilma Rousseff;  acordo envolve convite para que presidente do PSB seja o candidato da aliança em 2018 e para que o senador Rodrigo Rollemberg (PSB/DF) assuma um ministério, provavelmente o do Turismo; encontro entre Campos e Dilma hoje mostrou forte sintonia entre os dois.
A tabelinha entre a presidente Dilma Rousseff e o governador pernambucano Eduardo Campos, que resultou num gol na inauguração da Arena Pernambuco nesta segunda-feira, pode ser o prenúncio de uma jogada maior, articulada pelo técnico da base aliada, Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo a cúpula do PT, Lula ainda acredita no retorno de Campos ao projeto dilmista, como na fábula do filho pródigo, que à casa torna. Mas o ex-presidente  sabe que, no jogo pré-eleitoral de 2013, mais do que qualquer outro jogador, o governador pernambucano soube valorizar seu passe.
A articulação é relativamente simples. Em 2018, como foi proposto pelo governador baiano Jaques Wagner, Campos seria o candidato à presidência da República da base aliada – ideia que tem apoio também de outro governador petista, que é Marcelo Déda, de Sergipe. Para demonstrar que o compromisso do PT com o PSB é pra valer, seria oferecido também um ministério ao aliado: no caso, o Turismo, que ficaria com o senador Rodrigo Rollemberg (PSB/DF), ex-secretário de Turismo do Distrito Federal, na administração petista de Cristovam Buarque.
Com esse movimento, Lula mataria dois coelhos com uma cajadada só. Traria Campos de volta ao campo dilmista e promoveria a reconciliação entre Rollemberg e o governador Agnelo Queiroz, do PT, que também se fortaleceu, em Brasília, depois da inauguração do Mané Garrincha.
É uma jogada ousada, que ainda não tem o aval da presidente Dilma, mas o fato é que as portas do Palácio do Planalto estão abertas para a eventual volta de Eduardo Campos.
Fonte: Brasil 247
Bookmark and Share

O CRÍTICO DE TODOS OS GOVERNANTES

Por Gabriel Manzano,  O Estado de S.Paulo
O governo Lula dava seus primeiros passos, em 2003, quando um ícone do empresariado brasileiro, Antonio Ermírio de Moraes, deu sua primeira estocada: "A ideia do Fome Zero é péssima. Deviam estar focados no Desemprego Zero". A meio caminho do governo, outra cobrança: "Se eu tivesse de despachar com 35 executivos, estaria perdido". Antes, atazanava Fernando Henrique Cardoso por privatizar empresas ajudando os compradores com dinheiro do BNDES. Sobre os anos de Fernando Collor, era curto e direto: "Não sou psiquiatra para fazer uma análise dessas".
Esse criador de frases, sonhador e crítico, milionário e mal vestido, é o foco de Antonio Ermírio, Memórias de um Diário Confidencial, livro que o professor José Pastore lança amanhã, pela Editora Planeta. O que vem à tona em 350 páginas é o empresário que, além de abrir fábricas, distribuía provocações e ironias - em especial, tendo políticos como alvo.
Pastore aproveitou 35 anos de amizade e as pilhas de documentos e bilhetinhos que reuniu de Ermírio - afastado da vida pública e do trabalho em consequência de hidrocefalia e mal de Alzheimer - para traçar um perfil que junta "seus valores, seus princípios, suas preferências, suas idiossincrasias e até sua teimosia, seu autoritarismo e suas explosões - em geral seguidas por pedidos de desculpa".
Do menino brincando no Pacaembu, nos anos 30, ao patrão de 60 mil empregados do Grupo Votorantim na década de 90, os capítulos mostram o marido, o pai, o empresário, o político e o dramaturgo. Um homem que montou um império nas áreas de mineração, siderurgia, celulose, cimento, energia e finanças e por fim, um tanto desgostoso, enveredou pelo teatro.
Pastore traz detalhes inéditos da disputa de Ermírio pelo governo paulista em 1986, vencida por Orestes Quércia. Um dos últimos capítulos foi um "não" ao PFL, que ofereceu apoio em troca um terço das secretarias estaduais, todas com porteira fechada.
O livro relata momentos de coragem, como a briga com um alto governante, no regime militar. Brasília pediu-lhe que desmentisse uma crítica. "Não vou desmentir nada. Primeiro prove que estou errado."
O tempo todo Ermírio é mostrado como um homem impaciente, mas que desacredita acreditando. "No Brasil tudo é prioritário, do jogo do bicho à bomba atômica. Não pode dar certo", dizia. Dos maus políticos do Congresso, fazia piada: "O último que sair vai roubar a lâmpada".
A ironia também era voltada para si próprio, como quando um assistente tentava ensiná-lo a usar um editor de textos no computador. "O tempo que vou levar para aprender dá pra construir uma fábrica de alumínio!"
Bookmark and Share

terça-feira, 4 de junho de 2013

A PERDULÁRIA

A governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), gastou R$ 102 mil no aluguel de um jatinho que usou para ir ao Rio de Janeiro e voltar no mesmo dia.  No dia 27 de maio, Rosalba participou de uma homenagem ao senador Garibaldi Alves (PMDB) pela manhã e, à tarde, da comemoração de 35 anos de fundação do Telecurso 2000 2º Grau, na Fundação Roberto Marinho, no Rio. A assessoria da governadora avaliou que a despesa "não foi uma exorbitância". O gasto foi divulgado no Diário Oficial do Estado na última sexta-feira.
"Não foi uma exorbitância (a despesa). Em dois anos e meio de governo é a terceira vez que ela alugou um jato", disse o secretário de Comunicação do governo Edilson Braga, segundo quem a governadora tinha compromissos inadiáveis no dia em que precisou do avião particular.
Ainda segundo Braga, as duas aeronaves reservadas para uso exclusivo da governadora estavam na revisão. A opção de voos de carreira também foi descartada porque todos eles fariam com que Rosalba perdesse seus compromissos.
Em entrevista à TV Ponta Negra, na última sexta-feira, a governadora teria dito que o expediente de fazer voos fretados eram mais corriqueiros nos governos anteriores ao seu. Teria afirmado também que o retorno financeiro proporcionado pela viagem, que custou R$ 102 mil aos cofres públicos, será maior.

Por Ricardo Chapola - O Estado de S. Paulo
Bookmark and Share

segunda-feira, 3 de junho de 2013

ALTA TENSÃO

Em meio a especulações sobre um rompimento com o PT, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), recebeu tucanos de alta patente na tribuna de honra do Maracanã durante a reabertura do estádio, que é do Estado do Rio. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o pré-candidato à Presidência Aécio Neves estiveram na área mais VIP do estádio, sentados bem perto de Cabral.
Cabral assistiu à partida entre o prefeito do Rio, Eduardo Paes e o presidente da CBF, José Maria Marin. No primeiro gol do Brasil contra a Inglaterra, estendeu a mão a FHC para comemorarem juntos.
O governador tem afirmado publicamente que é aliado do governo Dilma Rousseff. No entanto, nos bastidores, sabe-se que ele não está satisfeito com a possibilidade do PT lançar um candidato próprio ao governo do Estado, deixando assim de apoiar a candidatura do indicado de Cabral, o atual vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).
Poucos petistas, aliás, foram vistos no camarote de Cabral neste domingo. O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e o deputado Federal Vicente Cândido, que também é vice-presidente da CBF, estavam entre os poucos presentes. A presidenta Dilma não veio ao Maracanã.
No camarote ao lado da tribuna, estavam, juntos, o presidente do STF Joaquim Barbosa e o apresentador Luciano Huck.
No intervalo da partida, Huck se aproximou da tribuna de honra e trocou números de celular o Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, após uma longa e animada conversa.
Cabral, por sua vez, estava com um sorriso estampado no rosto, recebendo cumprimentos pela reabertura do estádio. No intervalo, ele deu um longo e apertado abraço no presidente da EMOP (Empresa de Obras Públicas do Rio de Janeiro), Ícaro Moreno, chefe da reforma do Maracanã.
Do UOL, no Rio de Janeiro
Bookmark and Share

domingo, 2 de junho de 2013

NA PARADA...

A 17ª edição da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) de São Paulo que será realizada hoje (2), a partir das 12 horas na Avenida Paulista, com o tema “Para o Armário Nunca Mais! União e conscientização na luta contra a homofobia”.
Neste ano não tem eleições, então será escasso encontrar politico em cima de um trio elétrico. Em ano eleitoral, os trios elétricos viram palanques para políticos oportunistas. A disputa por cada metro quadrado parece até camarote de cervejaria na Marquês de Sapucaí, buscando aparecer na mídia arco-íris.
Mas há políticos no evento que estão engajados com a causa LGBT há muitos anos, por exemplo, a ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT-SP), que participou de todas as edições da Parada do Orgulho Gay de São Paulo.
Marta é autora do projeto de lei de união civil entre pessoas do mesmo sexo que estava engavetado na Câmara há mais de 19 anos. Em maio de 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a união homoafetiva.
A Parada do Orgulho Gay de São Paulo já faz parte do calendário turístico de São Paulo e segundo o Guinness Book – o livro dos recordes – é a maior manifestação mundial do gênero. Em São Paulo, segundo informações, o evento só perde para a Fórmula 1, em faturamento.
Segundo pesquisa realizada nesta semana na capital paulista, cada frequentador da Parada gasta por dia cerca de R$ 1.850 com hospedagem, alimentação e preparativos para o dia da Parada. O clima de festa arco-íris começa uma semana antes do dia do evento.
A Parada tem se tornado um evento político, onde os defensores do movimento LGBT colocam em discussões as políticas públicas para a comunidade LGBT.
Entre as lutas da comunidade gay, está a aprovação do Projeto de Lei Complementar 122 /06 que pune a homofobia no Brasil. O PLC 122/06 deve voltar a pauta do Senado ainda este ano.
Bookmark and Share

sábado, 1 de junho de 2013

NA PRESSÃO

Ideia foi lançada publicamente em 2012 pelo marqueteiro do PT, João Santana; para dirigentes do partido, seria uma forma de compensar no maior colégio eleitoral do País eventual perda de votos da presidente no Nordeste caso Eduardo Campos (PSB) saia candidato; Lula já sondou os ministros Aloizio Mercadante (Educação), Alexandre Padilha (Saúde) e Guido Mantega (Fazenda), mas não se decidiu por nenhum; indefinição alimenta rumores sobre a candidatura Lula ao Palácio dos Bandeirantes.
Até agora o PT não escolheu seu candidato para enfrentar a hegemonia de vinte anos do PSDB no governo de São Paulo. Lula já sondou três possibilidades: os ministros Aloizio Mercadante (Educação), Alexandre Padilha (Saúde) e Guido Mantega (Fazenda), mas não se decidiu por nenhum. O partido precisa de um nome forte para reverter um possível impacto nas urnas do Nordeste com a candidatura de Eduardo Campos (PSB). Para os dirigentes petistas, apenas um homem pode desempenhar esse papel: o próprio Lula. Só falta convencê-lo.
Leia a informação da coluna de Mônica Bergamo, da Folha:
RELÓGIO
Lula nunca demorou tanto para apontar o candidato de sua preferência para a disputa de um cargo como ocorre agora em relação ao governo de SP. Dilma Rousseff foi a sua “eleita” dois anos antes de 2010. Fernando Haddad, no começo de 2011, já era o seu escolhido. Até agora, o ex-presidente já lançou três balões de ensaio: Aloizio Mercadante, Alexandre Padilha e Guido Mantega. Não se decidiu por nenhum.
DEIXA FALAR
Em reunião há alguns dias em SP, dirigentes e parlamentares do PT concluíram que, embora remota, ainda não está descartada a possibilidade de o próprio Lula ser candidato. O balão de ensaio foi lançado publicamente em 2012 pelo marqueteiro do PT, João Santana.
DEIXA FALAR 2
Na análise de petistas, seria a forma de Lula compensar em SP eventual perda de votos de Dilma Rousseff no Nordeste caso Eduardo Campos saia candidato. O ex-presidente, no entanto, descarta taxativamente a hipótese todas as vezes que alguém aborda o assunto com ele.
Fonte: Brasil 247
Bookmark and Share