.

.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

DEU A LÓGICA COMUNISTA!

O deputado e ex-ministro das Relações Institucionais, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) é o novo ministro do Esporte. Aldo assume após as denúncias de irregularidades na pasta que levou à lona Orlando Silva (PCdoB-RJ) – aquele que pagou com cartão corporativo uma tapioca no valor de R$ 8,40 – o sexto ministro do governo Dilma a cair.

Como ministro das Relações Institucionais no governo Lula, Aldo Rebelo foi um zero à esquerda. Como parlamentar, apresentou projetos de lei que virou motivo de chacota; por exemplo: protocolou na Câmara projeto para a criação do Dia do Saci Pererê.

Outro projeto do comunista que saiu pela culatra foi tornar obrigatória a adição de 10% de raspa de mandioca na farinha de trigo destinada à fabricação do pão francês. As divagações de Aldo como parlamentar não param por aí! É de sua autoria projeto que proíbe o uso de expressões estrangeiras em eventos públicos, meios de comunicação, produtos e estabelecimentos nacionais.

Com esse vasto curriculo como parlamentar, o novo ministro do Esporte talvez faça adaptações em sua pasta. A proibição do estrangeirismo no nome dos jogadores, como por exemplo: Washington, Maicon, Kelson. Usar o Dia do Saci Pererê nos estádios como forma de protesto contra os jogadores pernas-de-pau.

Bookmark and Share

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

BOLA FORA

O ministro do Esporte, Orlando Silva (PCdoB) pediu demissão do cargo nesta quarta-feira (26). Após denúncias de corrupção revelada pela revista Veja, o policial militar e ex-militante do PCdo B, João Dias acusa Orlando Silva de ser o mentor de um esquema de desvio de verbas do Programa Segundo Tempo para ONGs e que teria recebido dinheiro na garagem do Ministério.

A cada dia, mais denúncias envolvendo o nome do ministro apareciam na imprensa. Diante da enxurrada de acusações – mesmo que tenha sido desclassificadas por ele – a permanência na pasta era insustentável. Em reunião com a presidente Dilma, a opção de Orlando Silva foi a mesma dos outros colegas que deixaram o governo, a demissão.

Em menos de onze meses de governo Dilma, Orlando Silva é o sexto ministro que cai. É o quinto que deixa a pasta por denúncia de corrupção – Nelson Jobim da Defesa Civil também pediu demissão, mas não teve seu nome envolvido em escândalo de corrupção, sua saída aconteceu por vários motivos, mas o estopim foi os comentários sobre as colegas de ministério.

Esse transtorno poderia ter sido evitado, se Dilma não tivesse dado ouvido aos partidos que compõem sua base aliada e os pedidos do ex-presidente Lula. Já há apostas para saber quem será o próximo ministro a cair até o fim de ano.

Bookmark and Share

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O DIA QUE SOBRAL PAROU PRA VAIAR CID GOMES

Domingo, 23 de outubro foi um dia histórico para a cidade de Sobral (CE), o dia que a terra – de Cid Gomes – parou e acordou do sono que vivia há anos. Pela primeira vez um Ferreira Gomes é vaiado em sua terra natal e reduto eleitoral, o governador Cid Gomes (PSB). Só faltava Sobral despertar; cidades como Quixadá e Fortaleza já acordaram para a realidade.

Há algum tempo jamais se pensava em algo semelhante, afinal, Cid era um semideus para a maioria dos sobralenses, mas o episódio ocorrido ontem demonstra que o tempo é outro e aponta para o fim de uma Era que tem a marca da arrogância, truculência e prepotência.

Cid falta com a verdade quando diz que sempre procurou tratar com muito respeito os profissionais da educação, talvez ele pense que a amnésia predomina a classe educacional. Para refrescar a memória, o governador foi o único do nordeste a entrar com uma ação no STF contra o piso salarial dos professores. Isso é só a ponta do iceberg de um governo que nutre desprezo pela educação, saúde, segurança...

A medida encheu e derramou e as vaias que Cid Gomes recebeu é o resultado de sua péssima administração no governo do Ceará. Com gastos altíssimos em propaganda, tenta ludibriar (como fez em Sobral) a população, mas o que vemos no vídeo acima mostra que a opinião pública está despertando desse maléfico sono.

Bookmark and Share

PODER ROSA

Cristina Kirchner foi reeleita ontem (23) com uma vitória arrasadora para permanecer no posto de presidente da Argentina até 2015, dias antes do primeiro aniversário da morte de seu marido Néstor Kirchner (2003-2007), segundo pesquisas de boca de urna que dão a ela 55% dos votos.

Advogada peronista de 58 anos, Kirchner obteve a maior vantagem do primeiro para o segundo colocado em uma eleição presidencial desde a restauração da democracia em 1983.

Eufóricos, militantes governistas saíram às ruas minutos depois do anúncio da reeleição da mandatária pela TV e começaram a agitar bandeiras e a bater bumbos na Praça de Maio, diante da Casa Rosada, sede do governo.

Bookmark and Share

domingo, 23 de outubro de 2011

PRÊMIO TOPBLOG 2011

Caros amigos, leitores e blogueiros parceiros, o blog Sou Chocolate e Não Desisto está na final do Prêmio TopBlog 2011, importante prêmio na blogosfera criado em 2008 pela Mix Mídia com objetivo de incentivar e premiar os blogs mais populares do Brasil por meio de votação popular e acadêmica. São 25 categorias.

São dois turnos: no primeiro, centenas de blogs são inscritos. Para o segundo turno passa apenas os 100 blogs mais votados de cada categoria. Já somos TOP100. Gostaríamos de estar entre os dez primeiros colocados, por isso pedimos o seu apoio.

Na categoria política, o Sou Chocolate e Não Desiste está nesta disputa entre os grandes blogs de política da blogosfera brasileira.

Para votar é muito simples e rápido: digite seu nome e endereço de email, depois confira na sua caixa de email ou no lixo eletrônico se chegou uma mensagem do TOPBLOG e clique no link desta mensagem para validar seu voto. Clique aqui e vote.

Obrigado a todos os blogs parceiros, leitores e amigos.

Bookmark and Share

sábado, 22 de outubro de 2011

BICADAS


O PSDB do Ceará levou ao ar ontem (sexta-feira), na propaganda partidária na tv, um filmete que tem como tema principal, os últimos acontecimentos com os professores da rede pública estadual e deixa bem claro, que veio para se firmar como oposição ao governo de Cid Gomes.
A propaganda bate forte no governo e dá pra se ter uma ideia do rompimento dos tucanos com a família Ferreira Gomes. A afeição que o ex-senador Tasso Jereissati, o chefe mor do tucanato cearense mantinha com Ciro Gomes – do partido da pomba - foi apartada com a eleição do ano passado.
Uma aliança branca, como a que ocorreu em 2006 entre Tasso e os Ferreira Gomes não vingou na eleição de 2010, os Gomes (PSB), pressionados pelo presidente Lula – que queria ver Tasso longe do Senado e conseguiu – romperam com Tasso.
Lula deu as cartas do jogo: ou apoiavam Dilma ou as portas do Planalto iriam ficar estreitas para clã Ferreira Gomes. Os irmãos Gomes sempre estiveram apoiando quem está no poder, e claro que não pestanejaram duas vezes.
Cid apoiou os dois candidatos do presidente Lula ao Senado: José Pimentel (PT) e Eunício Oliveira (PMDB). Agora, o PSDB quer marcar como partido de oposição. Talvez não consiga porque, para o eleitorado cearense, esse elo fraternal entre Tasso e os Ferreira Gomes parece não ter sido rompido.
Bookmark and Share

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

REALITY SHOW

Foto-montagem do site Kibe Loco e texto do portal UOL

A presidente da República, Dilma Rousseff, está tão preocupada com a crise do Ministério do Esporte que convocou uma reunião de emergência logo que chegou de Angola.

Segundo o Estado de S. Paulo, ela já está certa de que o desgaste político de Orlando Silva é irreversível, e decidiu tirá-lo do comando da pasta. Mas a tendência é que o PC do B mantenha o controle do ministério.

De acordo com a matéria do Estadão, Dilma ouviu os relatos do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre o andamento das investigações contra Orlando no Ministério Público e na Polícia Federal.

A pedido de Orlando, a Advocacia Geral da União entrou com uma queixa –crime contra o policial militar João Dias Ferreira e o motorista Célio Soares Pereira, que o acusam de desvio de recursos no programa Segundo Tempo.
Bookmark and Share

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

USINAS DE DENÚNCIAS

Por Dora Kramer colunista do O Estado de S. Paulo

Entre o escândalo que derrubou Antônio Palocci da Casa Civil e as acusações que enfrenta agora o ministro Orlando Silva, do Esporte, muita coisa mudou no gestual do governo no tocante à reação a denúncias feitas contra seus integrantes, não obstante a semelhança dos roteiros.

Palocci foi defendido durante boa parte dos 23 dias que levou para cair. Nesse meio tempo o Palácio do Planalto montou operação de blindagem que incluiu tentativa de responsabilizar a oposição e mobilização dos aliados para impedir que o então ministro fosse convidado a falar no Congresso.

Palocci saiu da Casa Civil no dia 7 de junho, mas duas semanas antes o governo falava em "campanha de difamação" e recomendava à sua base parlamentar que tivesse "sangue frio e nervos de aço" para reagir às acusações.

O presidente do PT, Rui Falcão, asseverava que o governo estava tranquilo e convicto de que Palocci estava "acima de qualquer suspeita".

A ofensiva, no entanto, não resistiu à força dos fatos. A partir de então, a metodologia foi sendo alterada e as quedas abreviadas. Falemos apenas dos episódios referentes a desvio de dinheiro, que não foi o caso de Nelson Jobim.

Alfredo Nascimento, dos Transportes, contou algum tempo com manifestações de "confiança" por parte da presidente e chegou a ser nomeado chefe das investigações. Mas ali já se viu que o melhor era que fosse ao Congresso logo.

O mesmo ocorreu com Wagner Rossi, da Agricultura, que teve ato de desagravo organizado pelo vice-presidente da República em pessoa, mas sua trajetória descendente ficou clara nas avaliações negativas feitas por integrantes do governo.

Pedro Novais, do Turismo, foi desde o início deixado ao sol e à chuva pelo próprio partido, o PMDB. Dilma não se envolveu, apesar de estar envolvida desde o dia em que aceitou nomeá-lo a despeito de evidências de que fazia uso ilegal de verba do Congresso.

Orlando Silva tampouco conta com sustentação assertiva do governo, conforme atestam as avaliações de que se não cair agora cai na reforma de janeiro.

Além disso, a presidente avocou ao palácio a tarefa de conduzir os assuntos relativos à realização da Copa do Mundo.

O Palácio do Planalto mudou de Palocci em diante. Parece mais interessado em afastar de si o cálice das crises do que em defender ministros.

Seria um ponto positivo, não fosse o fato de que a presidente não demonstra o mesmo interesse em cuidar do principal: o ponto de união entre todos esses escândalos que é o desvio de verbas públicas nos ministérios.

Em todos houve um denunciante motivado por alguma contrariedade. Todos decorreram do mesmo tipo de acusação, a montagem de esquemas de arrecadação de dinheiro para favorecimentos pessoais ou partidários.

Em todos, funcionários ou mesmo figuras sem função oficial atuavam com acesso livre para transgredir.

A hipótese de conspirações para destruir reputações de ministros é fantasiosa. Real é a prática disseminada de apropriação do Estado funcionando a partir do loteamento da máquina.

São usinas de denúncias que seguirão inesgotáveis enquanto o governo mantiver intactos esses "esquemas".

Palavrório. Deputados e senadores da base governista infantilizam o debate sobre o escândalo em curso quando se limitam a adjetivar elogiosamente o ministro e, ao mesmo tempo, chovem no molhado do conhecido prontuário do acusador.

Não há sustentação de defesa que responda à questão essencial: há ou não há desvio de verbas públicas do ministério?

A própria insistência em ressaltar os crimes do denunciante, cometidos no âmbito da pasta do Esporte, é a admissão de que fala com conhecimento de causa.

O critério do prontuário, aliás, é desqualificado pelo próprio PT quando partido e sua área de influência celebram os réus do mensalão e os tratam como cidadãos acima de qualquer suspeita.

No Parlamento, o exemplo mais evidente é a presença de João Paulo Cunha na presidência de nada menos que a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Bookmark and Share

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

8 ANOS SEM JERÔNIMO PRADO

Fotos: da esq. para à dir.O prefeito Jerônimo Prado ao lado da primeira-dama Dona Francisquinha Prado assina a Lei 214 que cria a Universidade Vale do Acaraú - UVA. O prefeito Jerônimo Prado, ao lado de seu filho, o secretário José Parente Prado inaugura a primeira praça do então distrito Forquilha. Sempre acompanhado de seu filho Zé Prado, Jerônimo Prado inaugura o primeiro colégio do distrito Olho d´Água – hoje Rafael Arruda.

Em 17 de outubro de 2003 morre em Sobral (CE) um dos maiores líderes políticos: Jerônimo Medeiros Prado. Nasceu em 15 de julho de 1909, no povoado de São Vicente, distrito de Jaibaras, que pertence a Sobral. Em 1932 Jerônimo Prado mudou para Sobral com a família e dar início a uma nova fase de sua vida, começa a ser comerciante.

Em 1940 Jerônimo Prado funda em Sobral a Brasil Oiticica, era a pioneira no comércio de oleaginosas da zona norte do Ceará. Com o sucesso da empresa, Jerônimo Prado mais uma vez se aventura e investe na cultura sobralense e cria o primeiro cinema da cidade, o Cine Alvorada, que se tornou referência cultural no Ceará.

Em 1966, Jerônimo Prado é eleito prefeito de Sobral, começa então a saga da família Prado na política sobralense como exemplo de boa gestora. De 1967 a 1971, Sobral foi administrada por Jerônimo Prado. Por meio da Lei Municipal número 214, de 23 de outubro de 1968 cria a Universidade Vale do Acaraú – UVA. A Universidade se torna referência no ensino superior e cultural em Sobral e na zona norte no estado do Ceará.

Bookmark and Share

domingo, 16 de outubro de 2011

NA GARAGEM

Mais um ministro do governo Dilma tem o nome envolvido em escândalos, o ministro do Esporte, Orlando Silva. Segundo reportagem de Rodrigo Rangel da revista Veja desta semana, o PC do B, partido do ministro teria usado ONGs amigas como fachada para desviar dinheiro do programa Segundo Tempo do Ministério do Esporte e teria como mentor e beneficiário, Orlando Silva. Um ex-militante do PC do B afirma que o ministro chegou a receber dinheiro dentro da garagem do Ministério do Esporte. Confira a íntegra da reportagem.

Ministro Tapioca. Orlando Silva é aquele ministro que pagou com cartão corporativo uma tapioca no valor de R$ 8.40.

Bookmark and Share

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

SÓ PODE SER PIADA...

O prefeito de Sobral (CE), Veveu Arruda (PT) que até dezembro do ano passado ocupava o cargo de vice-prefeito, mas morava em Fortaleza, onde despachava como presidente do IPHAN, recentemente recebeu o título de Melhor Prefeito do Ceará de 2011. Dos 39 votos, ele recebeu 27.
A premiação está na 24ª e a votação é feita por um colegiado de formadores de opinião, dirigentes de entidades e municipalistas. Incentivar os prefeitos que estão trabalhando corretamente e colaborando para o maior desenvolvimento é o objetivo do prêmio. Mas Veveu Arruda está no cargo há pouco menos de dez meses.
O prêmio é para os gestores que se destacaram em: saúde, educação, IDH e qualidade do Meio Ambiente fornecidos por entidades do governo. Isso não condiz com a realidade da cidade, a população reclama do descaso da administração.
Para se ter noção da gravidade, o governo abriu pregão para a contratação de carroças para a coleta de lixo em alguns bairros e distritos. Na contramão, o prefeito recebe o diploma de melhor prefeito do Ceará de 2011. Só pode ser piada!
Bookmark and Share

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

FIM DA AUSÊNCIA...

Maos-digitando-em-teclado-preto-e-branco

Caros leitores, amigos e parceiros do blog Sou Chocolate e Não Desisto, ausente por alguns dias, estou de volta. Obrigado a todos pelas visitas durante esse período que estive ausente.

Atenciosamente,

Valério Sobral.

Bookmark and Share