.

.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

PRISÃO DECRETADA

A Justiça de Mato Grosso determinou a prisão preventiva do ex-governador Silval da Cunha Barbosa (PMDB), sob suspeita de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. Ele não foi encontrado e era considerado foragido até as 19h30 desta terça-feira (15).
A prisão foi decretada pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, de combate ao crime organizado.
Uma operação conjunta da Polícia Civil do Estado com promotores e juízes resultou na prisão de dois ex-secretários de Fazenda da gestão do peemedebista, Pedro Nadaf e Marcel Souza de Cursi.
Barbosa não foi encontrado no prédio onde mora nem na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, onde prestaria depoimento na CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal, que apura irregularidades na concessão de incentivos fiscais durante a gestão do peemedebista.
Além das prisões, a operação, batizada de Sodoma, conduziu três pessoas à delegacia e cumpriu 11 mandados de busca e apreensão de documentos na casa de suspeitos de participar do esquema, incluindo a residência de Barbosa.
O ex-governador é investigado pelos crimes de lavagem de dinheiro e concussão (quando um funcionário público usa de seu cargo para exigir vantagem indevida). Ele é suspeito de participar de um esquema de lavagem de dinheiro entre empreiteiras, o governo e agentes públicos de Mato Grosso.
Em agosto, a mulher de Barbosa, a ex-primeira-dama Roseli Barbosa, chegou a ser presa em São Paulo sob suspeita de liderar um esquema de desvio de verbas dos cofres estaduais, mas obteve um habeas corpus e responde ao processo em liberdade.
A reportagem não conseguiu localizar o advogado do ex-governador nem dos ex-secretários de Fazenda presos nesta terça.
Bookmark and Share

Nenhum comentário:

Postar um comentário